Dra Julia Broetto, Cirurgião Plástico em Maravilha, Av. Sul Brasil, 583 - Conj. 306 - Centro, Maravilha/SC - Fone: (49) 3025-3108
Novidades
Capa >> Cirurgia Reparadora >> Quelóide ou Cicatriz Hipertrófica?

Quelóide ou Cicatriz Hipertrófica?

17_cicatrizAs  cicatrizes são a maior preocupação de quem faz uma cirurgia plástica e, na maioria dos casos, são necessárias para a realização dos procedimentos estéticos e reparadores. A cicatrização é um processo complexo que resulta na formação de um novo tecido para cura dos ferimentos causados por cirurgia, doenças ou traumas.  Uma cicatriz normal é fina, acompanha o relevo da pele ao redor e, às vezes, torna-se quase imperceptível, existindo um equilíbrio entre a produção e a degradação (destruição) de fibras colágenas. Quando a quantidade de colágeno depositada na cicatriz é maior do que o normal, formam-se as cicatrizes hipertróficas ou os quelóides e, se é menor do que deveria, a cicatriz final pode aparecer deprimida, ou atrófica.

Tanto os quelóides quanto as  cicatrizes hipertróficas ocorrem a partir de hiperproliferação de células da cicatrização, com conseqüente  formação excessiva de colágeno.  O quelóide em particular é uma lesão elevada, brilhante que causa coceira ou dor e que ultrapassa os limites da ferida original, ou seja, invade a pele normal adjacente. Apresenta crescimento ao longo do tempo e não regride espontaneamente. Comumente evolui com recorrência após os tratamentos. Por outro lado, cicatrizes hipertróficas consistem em cicatrizes elevadas, tensas e confinadas às margens da lesão original. Com freqüência tendem à regressão espontânea, vários meses após o trauma inicial.

queloide

Os quelóides somente ocorrem em seres humanos, podendo acometer todos os grupos étnicos. No entanto, apresentam preponderância em africanos, asiáticos e indivíduos de pele escura em geral. Pessoas acima de 65 anos dificilmente desenvolvem quelóides, a maioria dos casos se dá na faixa etária entre os 10 e 30 anos.

O tratamento e a prevenção de quelóides e cicatrizes hipertróficas são bem similares. Entre as opções terapêuticas, que podem ser usadas associadas ou não, estão a cirurgia, injeção de corticóides, uso de silicone gel, terapia compressiva,  radioterapia, laserterapia, crioterapia, uso de fita adesiva e, ainda, uso de substâncias populares sem comprovação científica ou que precisam de estudos mais detalhados.


queloide

O uso de cirurgia isoladamente tem uma taxa de recorrência que pode chegar perto de 100%, por isso geralmente é utilizada em associação com injeção de corticóides ou radioterapia. As placas de silicone gel atuam aumentando a temperatura da cicatriz e por compressão. A terapia compressiva pode também ser realizada com uso de malhas compressivas por um período de até 12 meses ou por brincos de pressão nas orelhas.

malha compressiva

 

 

DRA JULIA BROETTO - CIRURGIA PLÁSTICA

CRM/SC 20440 – RQE 11729

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Required fields are marked *

*


4 × = trinta dois

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>

Dra Julia Broetto, Cirurgião Plástico em Maravilha, Av. Sul Brasil, 583 - Conj. 306 - Centro, Maravilha/SC - Fone: (49) 3025-3108